Alem do que se vê

sábado, 7 de agosto de 2010

Talvez em algum lugar profundo da minha alma eu sei
Que o amor nunca dura
E nós temos que arranjar outros meios de seguir
Em frente sozinhos e manter a cabeça erguida
E eu sempre vivi assim
Mantendo uma distância confortável
E até agora eu jurei pra mim mesma
Que eu era feliz com a solidão
Porque nada disso nunca valeu o risco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário